Blog

Blog

5 mitos sobre criatividade

sexta-feira, 13 de 05, 2016
Tags: criativa, Criatividade, cultura, especialista, eureka, habilidade, ideias, insights, perspectiva

Quem nunca ouviu a famosa frase “Ah, mas criatividade é um dom!” que atire a primeira pedra.  E há toda uma cultura por trás disso, que faz a gente pensar que somente alguns privilegiados podem ganhar esse magnífico presente. Há quem pense que criatividade é algo que só pode ser exercido em áreas que envolvam arte e tecnologia ou processos que envolvam a criação de algo estético e diferente. Mas acalme-se, as coisas não são bem assim. A gente vai quebrar alguns mitos de criatividade. Confira:

1. Aquela coisa EUREKA!

Muita gente acredita que as novas ideias aparecem assim, do nada. Mas muitas pesquisas mostram que, na verdade, os insights são resultado de um trabalho intenso naquele problema. Os pensamentos se incubam no nosso subconsciente e se conectam às tramas anteriormente estabelecidas e… pronto, a ideia aparece, como se fosse mágica. Na verdade, toda a chave da criatividade se baseia em acumular backgrounds diversos e diferentes.

2. Um dom?

A criatividade não é dom – algo que nasce com a gente, está predisposta nos nossos genes, como muita gente pode pensar. Na verdade, ela pode ser considerada uma habilidade social adquirida. Como qualquer habilidade pode, então, ser desenvolvida e aprimorada ao longo do tempo. Pessoas com maior auto-confiança e que trabalham com mais afinco nos problemas são comumente as que terão as melhores soluções criativas. Então, mãos (e mente) à obra!

3. Nada se cria…

Muito se fala sobre a propriedade da ideia criativa – ela é originalmente de quem pensou primeiro nela, certo? Bom, alguns estudos históricos e empíricos mostram que as novas ideias, na verdade, são combinações de algumas que já existem. Portanto, o “nada se cria, tudo se copia (e se aprimora), tem certo fundamento. A questão, então, torna-se jurídica e legal. Quem pensou naquilo e a registrou tem, portanto, poder sobre a propriedade intelectual e é protegido por lei.

4. Aquele especialista, o cara mais criativo do mundo

Algumas empresas tendem a confiar somente na figura de uma pessoa especialista para gerar as ideias criativas para resolver determinado problema. É aquela coisa “Tá com um problema? Chama o Fulano” Algumas pesquisas recentes, no entanto, mostram que um problema difícil, frequentemente, requer uma outra perspectiva ou alguém que não esteja limitado por um conhecimento técnico do porquê aquilo não pode ser feito. O ideal é treinar como você pode mudar de perspectiva e se colocar em outros lugares para resolver aquele problema.

5. O Gênio Solitário

A gente tem a tendência de delegar invenções inovadoras somente a uma única pessoa, ignorando o trabalho coletivo e colaborativo anteriormente feito. E aí surge a ideia de que uma pessoa só vai resolver tudo, sem ajuda de ninguém. A criatividade encontra bastante fundação em um esforço de time – ou seja, se seu time está motivado, pensando criativamente, mais as chances de você ter uma tropa criativa pra resolver seus problemas. Além disso, estamos em uma era de conhecimento compartilhado, que gera cada vez mais soluções inovadoras e criativas.

Resumindo: a criatividade é, na verdade, função de conhecimento, curiosidade, imaginação e avaliação. Como assim?  Podemos falar em processos de auxílio na criatividade para melhorar nossa base e resolver problemas de uma forma mais interessante. E o que pode fazer a criatividade aflorar? Quanto maior sua base de conhecimento e seu nível de curiosidade, mais ideias, padrões e combinações você vai conseguir tecer. É importante não se limitar mesmo na crise (a gente já mostrou aqui como se dar bem na crise, né?)

Geralmente, nas crises ou em meio à bagunça, caos, desorganização e problemas, é que surgem as ideias mais interessantes e que assumem potencial de realmente resolver problemas. Elas surgem da necessidade de mudança, de fazer algo melhor, de produzir e resolver aquele determinado problema, de uma forma diferente. Partindo do potencial individual de cada um (que vai contribuir como pode para resolver aquele problema) e indo em direção à resolução coletiva do problema, as chances de termos um problema resolvido de forma satisfatória e, por vezes, extraordinárias, são altas. E isso, em grande medida, contribui e muito para o desenvolvimento social daquele ambiente – que contará com melhores práticas sociais, advindas dessas soluções. Claro, ambientes bagunçados como esse entregam alguns desafios a mais que devem ser levados em conta na hora de colocar na ponta do lápis prós e contras – porém desenvolver um novo mindset de produção e entrega, em qualquer ambiente, é algo desafiador e grandioso. É inegável o benefício que uma economia criativa ativa e funcional traz às suas zonas de intervenção.

Kanye criatividade

Quer mais dicas sobre melhorar sua criatividade e inovação? Dá uma lidinha NESSE POST que a gente fez pra você. 😉

Ah, e olha a live que a gente fez sobre o tema

Contato

Em que podemos ajudar?

Cancelar