Blog

Blog

5 tendências globais de consumo para 2016 e como aproveitá-las

sexta-feira, 4 de 03, 2016
Tags: comunicação, conteúdo, dicas, posicionamento, público, tendências, trend

Já passou carnaval, já veio volta às aulas e estamos quase na Páscoa. Não tem jeito, o ano começou mesmo. E o que esperar dos desejos do consumidor? E o que nós como comunicadores podemos fazer para atendê-los em 2016, valorizando nossos produtos e serviços?

Veja algumas das principais tendências globais de consumo para esse período e como podemos aplicá-las no contexto brasileiro e em nossas marcas.

  1. Sustentabilidade: Status e economia

Em 2015 foi possível observar que houve uma mudança no modo em que a consciência ecológica é vista. O pensamento voltado para a preocupação com o meio ambiente passou a conferir um status de inteligência e diferenciação. Logo, no desejo de adquirir esse “ecostatus”, os produtos/serviços que adotam esse posicionamento ganharam um novo olhar dos clientes.

(#freeO2zone, um projeto de conscientização ambiental em forma de intervenção urbana criado pelos publicitários Fábio Eugenio, Hugo Hespanhol, Rodolfo Bento, Hugo Cacique e Caroline Lazarini).

No caso do Brasil, que viveu recentemente um período de dificuldades no fornecimento de água potável, por exemplo, a consciência ecológica apareceu ainda mais, destacando as marcas que possuem um apelo sustentável.

Além disso, a crise econômica também fez o brasileiro querer economizar mais: gastar menos água, energia e consumir de uma nova forma, compartilhando.

  1. Consuma, compartilhe e pague menos

Pegando a mesma onda da sustentabilidade, o consumo colaborativo surge como alternativa para o comprador continuar adquirindo seus produtos mas sem perder seu padrão de vida. Um exemplo disso é o aplicativo Skwag que promove a troca de sapatos de luxo. Nessas novas propostsa, as pessoas têm visto uma oportunidade de economia e praticidade. Além disso, essa prática é uma ótima forma de interação social, onde você pode adquirir um bem/serviço e ainda compartilhar a experiência com uma outra pessoa.

  1.  Faça você mesmo e aprimore suas habilidades!

Atualmente, o consumidor tem se disposto a pagar por aquilo que o ajude a aprimorar suas habilidades e ter em casa o que antes se comprava na rua. Um exemplo disso são os acessórios de cozinha para fazer receitas gourmetizadas. Outro ponto dessa tendência é o desejo de plataformas que o permita construir coisas sem conhecimento técnico e traga aprendizado sem necessariamente sair de casa.

  1.  Posicione-se e ajude a sociedade

As pessoas têm se mostrado cada vez mais engajadas, seja nas mídias sociais ou na rua. Logo, em tempos de ativismo digital, o consumidor tem esperado mais transparência das marcas que utiliza. Porém, para “tomar algum partido” é necessário que a ideia defendida seja alinhada ao posicionamento da empresa, para não confundir o público e para que se possa fazer um trabalho mais a longo prazo.

5- Entenda seu público e ajude ele

Diante de várias opções, o público tem se mostrado satisfeito com as marcas que se destacam por saber identificar suas necessidades e atendê-las da melhor forma possível. Seja observando seus pedidos nas redes sociais ou estudando seus comportamentos, a questão é ter empatia. A editora Lote 42, durante a Copa do Mundo, ofereceu 10% de desconto a cada gol sofrido pela Seleção Brasileira (imagina só quanto desconto esse pessoal ganhou haha). A iniciativa era uma forma de amenizar o sofrimento do torcedor.

O consumidor também tem buscado serviços que otimizem seu tempo.

E aí, ficou curioso para conhecer mais a fundo essas tendências? Fique ligado aqui no blog para saber mais em breve 😉

Contato

Em que podemos ajudar?

Cancelar