Blog

Blog

Oi? A marca mudou, e agora?

segunda-feira, 28 de 03, 2016
Tags: estratégia, logo, marca, oi, rebranding

Assista à nossa live sobre Branding!

Depois da TIM já ter anunciado a mudança de marca em 2015 (apesar de não ter estreado sua marca oficialmente no Brasil), outra operadora segue o mesmo caminho. A Oi anunciou o resultado do seu rebranding (que durou quase 4 anos, segundo algumas fontes), na tentativa de deixar a marca mais dinâmica e moderna. As principais novidades são as 70 formas diferentes que a marca pode assumir e o degradê como principal protagonista da marca. As cores contrastantes se tornam uma marca forte da companhia, e segundo a Oi, a nova marca é “fluida, social e antenada”.

A marca já está dividindo opiniões na internet, mas o fato é que, sem dúvida, trouxe alguns pontos interessantes a serem discutidos. Quem disse que o degradê não pode ser usado, hein? (Apesar de acharmos que a transição das cores na marca deixa tudo muito gritante e é feito de forma pouco suave). Quem disse que uma marca não pode ser dinâmica, adaptável? Que só poderia existir uma aplicação? A gente está cada vez mais rápido, exigindo mais, querendo mais – e as marcas precisam correr atrás pra nos acompanhar. Por que não incorporar elementos mais humanos e quebrar um pouco as regras e tradições do design? Confere a marca embaixo e dê sua opinião nos comentários.

 

Fazer um rebranding é uma tarefa bem complicada. Leva tempo, dedicação e muito estudo. Não só pelo fato de que mexer em uma marca já consolidada abre o campo de batalha pra discussões intermináveis – enquanto alguns “haters gonna hate”, outros vão sair por aí espalhando seu amor pela marca. Mas pelo desafio de reposicionar a marca, de embutir características fundamentais e essenciais à marca, de deixar o velho pra trás e trazer elementos novos, frescos, novos. Essa combinação de elementos faz dos rebrandings sempre polêmicos.

Mas, calma. Pra quem ainda não sabe o que é rebranding, vamos a uma explicaçãozinha rápida.

 

Rebranding é aquela recauchutada básica na marca. Quando ela decide mudar o logo, as cores ou os elementos que compõem a identidade da marca, geralmente decorrente de um novo posicionamento ou nova atitude da marca – as marcas evoluem, se tornam modernas, ganham espaço no mercado, se tornam mais ousadas e isso deve, necessariamente, se traduzir em toda sua comunicação, não é? Várias marcas conhecidas já passaram por esse processo.

 

Tá, mas tem como resumir algumas dicas rápidas, caso você pense que sua marca precisa de uma levantadinha?

1. Contrate um especialista

Nada de mandar o sobrinho design repensar e construir sua marca. Para pensar a nova marca, a estratégia da companhia deve ser levada em conta, além de todos os públicos e os objetivos estratégicos. Tem que ser uma coisa bem pensada, estruturada e flexível, considerando que o look and feel das marcas muda ao longo dos anos.

2. Pesquise, cabeção!

Não vai fazer as coisas da sua cabeça, né? Ou por que você acha que a marca devia ser assim e não assado, no achômetro. As pesquisas devem ser o fio condutor do seu processo. Você tá buscando um novo público? Quer focar em um novo tipo de produto, serviço ou nicho? Colete dados dos grupos de interesse, pense em quais tipos de design serão eficientes para esses públicos e trace uma estratégia de rebranding. Pergunte aos seus consumidores o que eles esperam, o que eles gostariam de ver.

3. Cuidado com os riscos

Uma nova marca pode fazer com que seu consumidor atual seja alienado, deixando-o de lado, além de apagar as conquistas da marca antiga. É sempre bom pensar em uma linha de continuidade, de evolução, nada de mudanças bruscas e totalmente desconexas. Pense na nova marca como uma vantagem competitiva – se apresente para o seu cliente, ofereça benefícios para ele para torná-lo mais leal.

4. Uma marca é mais do que só coisinhas bonitinhas

Muita coisa entra na sua marca: o logo, o esquema de cores, seu slogan até a embalagem dos seus produtos. Mas no fim das contas, uma marca é o que os seus consumidores pensam da sua companhia e das experiências que eles têm com você – e os menores detalhes contam. Ok, você pode gastar uma nota refazendo sua marca, mas dê a mesma atenção aos serviços de consumidor.

E aí, o que achou do rebranding da Oi?

 

Contato

Em que podemos ajudar?

Cancelar