Blog

Blog

Você sabe o que é e pra que serve o Neuromarketing?

quarta-feira, 22 de 06, 2016
Tags: comportamento, consumidor, Consumo, Marketing, Neuromarketing, pequenas empresas, publicidade, público

O que é o Neuromarketing?

jihf2PS

Se você estuda Publicidade, Marketing, trabalha na área ou é um curioso, provavelmente já ouviu falar sobre o Neuromarketing. Esse ciência é a junção do estudo do funcionamento do cérebro, da fisiologia do corpo e do Marketing. Através dele, podemos compreender preferências do consumidor e seu processo de decisão de compra. Segundo Fernando Kimura, especialista no assunto, cerca de 85 a 95% das decisões de compra são feitas pela parte instintiva/emocional do cérebro e o estudo do Marketing tradicional, contempla a parte mais estratégica e racional do comportamento do consumidor.

Atualmente, é uma tendência que as marcas invistam nos sentidos e nas experiências do consumidor. O Neuromarketing está aí para auxiliar nessa estratégia, entendendo cientificamente reações positivas e negativas dos clientes quanto a cores, sons, músicas etc.

Ele é eficiente?

Alguns estudiosos de tendências têm se manifestado “contra” o Neuromarketing, defendendo que ele não é mais tão útil no sentido do ser humano ter um comportamento muito singular e as marcas deverem se basear nisso. Porém, o Neuromarketing observa o consumidor em 3 esferas: PSÍQUICA, SOCIAL e CULTURAL. Assim, são vários aspectos sendo avaliados e testados. Outro ponto importante, é que o Neuromarketing leva em consideração algumas métricas para comprovar seus resultados, elas são:  ATENÇÃO, o que chamou a atenção e o que o consumidor observou; a EMOÇÃO quais emoções foram associadas à aquela comunicação e a MEMÓRIA, se aquela emoção gerou memória da marca.

O Neuromarketing e as experiências

Neuromarketing tem tudo a ver com o marketing de experiência, uma comunicação feita através da criação de momentos memoráveis e que despertem sensações positivas no consumidor (leia mais AQUI). Logo, utilizar as técnicas desse estudo para garantir uma experiência única é uma estratégia bem legal, já que as experiências são feitas de engajamento emocional.

As pequenas empresas podem adotar a técnica?

A gente lê os artigos sobre Neuromarketing e já pensa, vish, deve ser muito caro investir nesse estudo e nos equipamentos para a medição da eficácia dos estímulos. Bom, é um material caro sim, mas isso não impede que pequenas e médias empresas invistam na técnica. Através de pesquisa e algumas leituras, já podemos adotar algumas ações como as citadas pela consultoria em Neuromarketing, Neuronio Web (veja mais conteúdo AQUI

1- Seja objetivo

Nosso cérebro recebe muita informação, pra que complexificar para que a sua mensagem tenha que competir com tantas outras?

2- Use associações com o cotidiano

Para se aproximar do consumidor é interessante fazer uso de referências cotidianas para que ele possa fazer associações e gravar na memória.

3- Storytelling pode

Storytelling cria engajamento emocional. Saiba investir numa boa história com as emoções certas para gerar identificação com o público.

4- O cérebro é visual

Procure investir num bom design na hora de criar suas peças, para que o consumidor entenda facilmente a mensagem e não demore para interpretá-la.

Contato

Em que podemos ajudar?

Cancelar